Ginástica Artística

A ginástica artística é um esporte de precisão formal no qual os ginastas devem apresentar uma série composta por elementos acrobáticos e ginásticos em um dos aparelhos que integram a competição. Na competição feminina, as ginastas se apresentam em quatro aparelhos: as barras assimétricas, o salto sobre a mesa, o solo e a trave de equilíbrio. Na competição masculina, os ginastas também competem no salto sobre a mesa e no solo, além de executarem séries nas argolas, na barra fixa, nas barras paralelas e no cavalo com alças. Um júri composto por 8 árbitros avalia o ginasta com relação à dificuldade da série (com base nos valores dos elementos que a compõem, estabelecidos pelo Código de Pontuação) e à execução da série (conforme a qualidade e precisão técnica dos movimentos realizados pelo ginasta). Ao apresentar a série, os ginastas podem cometer falhas, o que acarreta em dedução na nota, ou realizar movimentos combinados ou de grande dificuldade, o que resulta em bonificação. Esses itens determinam a pontuação da série do ginasta. Geralmente, as séries apresentam uma entrada, forma de iniciar a apresentação e o contato com o aparelho, a execução dos elementos que compõem a série e uma saída, finalização da série e término do contato com o aparelho. Diferentes tipos de elementos são utilizados nas acrobacias realizadas pelos ginastas nos aparelhos. Saltos mortais, piruetas, saltos de dança, e apoios são alguns dos elementos que, realizados em sequência, compõem as séries. Presente na competição desde a primeira edição dos Jogos Modernos, em Atenas 1896, as provas acontecem nas categorias individual geral, por equipes e por aparelho. Nas finais, competem apenas os 8 ginastas ou equipes que obtiverem as melhores notas na etapa classificatória.

Série Entrada Pontuação Pontuação Júri Dedução Dificuldade Execução Falha Queda Elementos Rotações Saltos Apoios Equilíbrios Suspensões Combinações e Sequências Aparelhos Solo Salto sobre a Mesa Argolas Cavalo com Alças Barra Fixa Barras Paralelas Barras Assimétricas Trave de Equilíbrio

Você Sabia?

Na ginástica artística, a criatividade na composição dos elementos é bastante incentivada. Por isso, quando um ginasta apresenta um elemento inédito durante sua série, esse elemento é batizado com seu sobrenome. Como exemplo, temos o Dos Santos (duplo twist carpado), executado pela primeira vez em 2003 por Daiane dos Santos.

A linguagem metafórica está presente na ginástica artística. O aparelho cavalo tem esse nome pela semelhança que o seu formato apresenta com o formato do corpo do animal. Inclusive, são utilizadas as expressões sela, garupa e pescoço para se fazer referência às partes do aparelho.


Palavras
Responsável(is): Ana Flávia Souto de Oliveira