Maratonas Aquáticas

A natação em águas abertas, que deu origem ao que hoje se conhece como maratona aquática, é uma modalidade esportiva de mais de 200 anos. Nas quatro primeiras edições dos Jogos Olímpicos (entre 1896 e 1906), as disputas da natação eram realizadas em rios e mares. A partir de 1908, foram introduzidas as piscinas nos Jogos realizados em Londres. Passaram-se então 100 anos sem provas em águas abertas, até a introdução da maratona aquática de 10km nos Jogos de Pequim, em 2008.    As provas de maratonas aquáticas podem ocorrer em águas oceânicas (mares), lagos ou rios e classificam-se em longas (3,5 km a 15 km), médias (2 a 3km) e curtas (600m a 1,5km). Nos Jogos Olímpicos, as maratonas aquáticas são disputadas em provas de 10km, em águas abertas, com 25 atletas no masculino e 25 no feminino.


Atletas Largada Navegação Nado Crawl Percurso Chegada Arbitragem Infrações e Penalidades Provas

Você Sabia?

A travessia do Canal da Mancha, entre Inglaterra e França, é considerada o “Monte Everest" das águas abertas. É conhecida por ser uma das mais difíceis e duras do planeta, onde os atletas enfrentam vários obstáculos, como o longo percurso de 34 km, os fortes ventos e água conhecida por ser muito gelada.  

Poliana Okamoto, Allan do Carmo e Ana Marcela Cunha são os principais atletas do Brasil nas provas e percursos olímpicos em águas abertas.  


Responsável(is): Rove Chishman